Estoques de veículos ficam estáveis em setembro

Publicado: 11/10/2011 em Uncategorized

A produção nacional de veículos, incluindo os de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus, recuou quase 20% em setembro ante agosto, porém os estoques na indústria e nas concessionárias caíram apenas um dia, na mesma base de comparação, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Segundo o vice-presidente da entidade, Luiz Moan Yabiku Jr., nem a queda no volume produzido nem os 36 dias de estoque em setembro preocupam a indústria.
No mês passado, conforme dados da Anfavea, a produção ficou em 261,184 mil unidades, queda de 19,7% ante agosto e de 6,2% frente a setembro de 2010. Parte do recuo, segundo Moan, deve-se à sazonalidade. “Nos últimos cinco anos, a produção em setembro apresentou queda média de 9% ante agosto.” Pesou ainda as paradas e férias concedidas em unidades das grandes montadoras.
Em relação aos estoques, o vice-presidente da Anfavea disse que o aumento no número de concessionárias e de modelos comercializados leva, naturalmente, à necessidade de maior volume de veículos nos pátios de montadoras e lojas. “Esse (36 dias) é um nível bastante adequado à nova configuração do mercado brasileiro”, disse.
Já as vendas totais de veículos no mês passado mostraram baixa de 4,9% na comparação com agosto, para 311,648 mil unidades – volume recorde para o mês -, e alta de 1,5% frente a setembro de 2010. “A queda é enganosa”, disse Moan, acrescentando que os dois dias úteis a menos em setembro em relação a agosto provocaram esse “engano. Segundo ele, a média diária de vendas indica alta de 4,2% na mesma comparação. Em agosto, a média foi de 14,244 mil unidades e subiu a 14,840 mil em setembro.
Por conta desse desempenho, a Anfavea manteve as projeções para produção, vendas internas e exportações em 2011. Em novembro, contudo, a entidade deverá revisar essas estimativas, especialmente as relativas a comércio exterior.
O vice-presidente da entidade reiterou que o novo regime automotivo, representa uma “mudança de paradigma” para o setor. “Somente nesta semana, foram mais US$ 2 bilhões em investimentos anunciados, que reforçam a percepção de que o programa Brasil Maior gerou maior confiança em quem quer produzir no país”, disse. O programa inclui a elevação em 30 pontos percentuais a alíquota de IPI para importados, com exceção dos produzidos no Mercosul, México e, agora, Uruguai.

Fonte: Valor

11/10/11
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s