21 dias de greve e a proposta dos correios prevê reajuste 6,87%

Publicado: 06/10/2011 em Negociação Data Base 2011

A proposta costuradana terça dia 4 prevê reajuste de 6,87% a partir de agosto (data-base dacategoria). Os R$ 80,00 seriam pagos neste mês. Com isso, o abono de R$500aventado pela empresa deixaria de fazer parte da proposta. Os Correiosofereciam inicialmente o reajuste a partir de janeiro e o aumento linear, emjaneiro de 2012.


Sobre o impasse relativo aos diasde paralisação, a estatal aceitava descontar o valor de forma parcelada. Seisdos 21 dias já abatidos dos salários serão inicialmente devolvidos eposteriormente descontados em até 12 parcelas a partir de janeiro do ano quevem. O trabalhador que quiser pode optar pelo desconto em prazo menor.


Os demais 15 diasparados serão compensados com períodos extras de trabalho, para colocar oserviço em dia após três semanas. Se a greve realmente acabar, no próximo fimde semana já pode haver expediente adicional. A compensação não podeultrapassar a segunda quinzena de maio de 2012.

Representantes dos trabalhadores eda Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos (ECT) alcançaram termos de umacordo nesta terça-feira (4) durante audiência de conciliação no TribunalSuperior do Trabalho (TST). Se a proposta for aprovada em assembleia por pelomenos 18 dos 35 sindicatos filiados à Fentect, federação da categoria, aparalisação será encerrada em todo o país na quinta (6).

Foram quatro horas de sessão, presidida pelavice-presidente da corte, a ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi,com quatrointervalos. A audiência transformou-se em uma negociação aberta com pausas paraque detalhes alterados fossem avaliados pelos dirigentes sindicais e porrepresentantes da estatal. O debate esmiuçou questões específicos da proposta ehouve divisão entre os membros do comando nacional dos grevistas – parte aindamanteve-se contra o acordo.

Segundo José Rivaldo da Silva, secretário-geral daFentect, federação dos trabalhadores da categoria, ainda que a maioria dosdirigentes sindicais concorde, será necessária a aprovação em assembleias defuncionários dos Correios dos 35 sindicatos associados. Pelo estatuto dafederação, é necessário que metade mais um dos filiados aprove o fim daparalisação para que a greve acabe em todo o país.

Durante a reunião, o sindicalista deixou claroque, para haver acordo, seria necessária uma proposta de aumento real (acima dainflação) de imediato e não apenas em janeiro, como a empresa oferecia. Paraisso, os trabalhadores abriram mão do abono de R$ 500. A ECT propôsinicialmente pagamento parcela dos R$ 80, concordando posteriormente como  pagamento em uma só vez, após várias consultas à direção.

Por ser condicionada ao fim da greve, a propostatem eficácia suspensiva, conforme explicou a ministra. Ela comandou os ajustesna proposta formulada pela empresa para tentar alcançar um acordo.

06/10/2011
Fonte: Mundo sindical

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s